sábado, 28 de fevereiro de 2009

Geremias Lunardelli, o rei do café

Nascido em Treviso, Itália, (20 de agosto de 1885 — São Paulo, 9 de maio de 1962) Geremias Lunardelli então com um ano, em 1886 chegou ao Brasil junto com seu pai, Nicola, e sua família. Aos quatro anos, Lunardelli perdeu o pai e foi morar com o resto da família em Sertãozinho (SP), na Fazenda Dumont, de propriedade de Rodolfo Miranda e Cornélio Procópio, onde foi carroceiro quando menino e após chegando a ser colono por dez anos.
Conta-se que um dos primeiros negócios de Lunardelli foi a compra e venda de uma manada de leitões. Com o dinheiro arrecadado e reunindo algumas economias, adquiriu um pequeno sítio, onde com 20 anos começou a cultivar café. Dizem que seu próximo passo foi a compra de sua primeira grande propriedade, a Fazenda Pau D'Alho, em Olímpia (SP), Começava, assim, a trajetória do homem que passaria a ser conhecido como "O Rei do Café" (título informal dado ao maior empresário rural plantador de café de sua época).
Já na década de 20, já casado com Albina Furlanetto Lunardelli, possuía não só milhares de pés de café, mas também um bom patrimônio, que incluía um palacete na Avenida Brigadeiro Luís Antônio.
Em 1933 recebeu a Ordem do Cruzeiro do Sul, em homenagem ao importante papel que teve na agricultura brasileira. Em 1946, o Vaticano lhe ofereceu o título de marquês, mas ele o recusou, assim como já havia recusado o título de conde, que lhe foi dado pelo governo italiano em 1928.
Foi denominado rei do café por ter chegado a possuir 18 milhões de pés de café espalhados por suas numerosas propriedades nos estados de São Paulo, Paraná e no sul de Mato Grosso, hoje Mato Grosso do Sul. Também tinha terras em Goiás e no Paraguai.
Foi em Lunardelli que Benedito Ruy Barbosa se inspirou para escrever o personagem Geremias Berdinazzi, interpretado pelo ator Raul Cortez na novela "O Rei do Gado". Lunardelli voltou poucas vezes a sua terra natal, sendo que em uma delas aproveitou para fazer contatos para exportação de café. Morreu em 1962, quando contabilizava 450 mil hectares de plantações de café.
Quem se interessar em saber mais sobre a vida de Lunardelli pode Ler o livro biográfico "O Rei do Café", escrito pelo jornalista L. V. Giovanetti.

Nenhum comentário: